Fórum Florestal Mineiro discute planejamento de paisagens e recuperação do rio Doce

nov 20, 2018 | Fórum Florestal Mineiro, Notícias

O Fórum Florestal Mineiro se reuniu no dia 25 de outubro na sede da Amda – Associação Mineira de Defesa do Ambiente. Entre representantes de ONGs ambientalistas, empresas e academia, o evento contou com 27 pessoas e foram abordados temas relacionados a planejamento de paisagens, ações de recuperação do rio Doce e a nova Deliberação Normativa sobre carvão.

No âmbito de planejamento da paisagem, Sónia Carvalho Ribeiro, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), apresentou estudos sociais realizados no entorno de unidades de conservação. As pesquisas estão sendo desenvolvidas no Parque Estadual do Rio Doce e já foram realizadas dinâmicas sócio ecológicas em quatro municípios (Córrego Novo, Pingo D’água, Bom Jesus do Galho e Dionísio) para identificação de cenários e governança para futuros sociobiodiversos.

Dentre as ações, foram aplicados questionários com o objetivo de identificar o futuro almejado pela população do entorno da unidade de conservação. O resultado apontou o desejo de investimento em empreendimentos locais, fortalecimento da agricultura familiar, capacitação de jovens, promoção de turismo, melhorias de infraestrutura e saneamento, conservação de recursos hídricos (manutenção, combate a incêndios e educação ambiental) e recuperação de Áreas de Preservação Permanentes (APPs).

Ao final da apresentação, a professora confirmou sua continuidade no Fórum Mineiro.

A Fundação Renova, representada por Vinícius Brito, apresentou ações da entidade para recuperação do rio Doce com foco na readequação sócio/econômico/ambiental de propriedades rurais.

Brito mostrou os dois eixos temáticos que estão sendo trabalhados: pessoas e comunidades; e terra e água. O primeiro eixo tem a função de promover engajamento e diálogo, fomento à economia, identificação e indenização, educação e cultura, saúde e bem estar envolvendo as comunidades tradicionais e indígenas. No eixo Terra e Água foram apresentados dados sobre manejo de rejeito, biodiversidade, gestão hídrica, uso do solo e assistência aos animais.

A Deliberação Normativa (DN) 227/2018, considerada a nova DN do carvão em Minas Gerais, foi apresentada por Adriana Maugeri, presidente da Associação Mineira de Silvicultura (AMS). O documento estabelece procedimentos para redução das emissões atmosféricas dos fornos de produção de carvão vegetal de floresta plantada e para avaliação da qualidade do ar no seu entorno e dá outras providências.

O Fórum Florestal Mineiro continuará conversando sobre planejamento da paisagem, que é também objetivo do Diálogo Florestal Nacional dentro do tema Diálogo do Uso do Solo, para verificar ações que podem ser realizadas em Minas Gerais.

 

Autora: Elizabete Lino.