Fórum Florestal PR e SC realiza reunião em Curitiba

por nov 29, 2018Fórum Florestal Paraná e Santa Catarina, Notícias0 Comentários

No dia 13 de novembro de 2018 foi realizado o XXXI Encontro do Fórum Florestal, na sede do Instituto Mater Natura de Estudos Ambientais, em Curitiba (PR). O evento contou com a participação de 15 representantes de ONGs, empresas, associação do setor de base florestal e academia.

Paulo Pizzi deu as boas vindas e apresentou a trajetória Mater Natura, que em 2018 completou 35 anos dedicados à conservação da biodiversidade brasileira. O relatório comemorativo de 1983 a 2018 pode ser acessado aqui. Ele traz um pouco de história, depoimentos dos parceiros, dados sobre a descoberta ou descrição de 26 espécies de animais da Mata Atlântica, informações sobre os 84 projetos executados, além de citar as campanhas e políticas públicas para a defesa do meio ambiente, ações de comunicação, publicações e prêmios conquistados.

Fernanda Rodrigues, nova secretária executiva do Diálogo Florestal (DF) Nacional, atualizou os participantes sobre a transição da secretaria e sobre o planejamento que vem sendo conduzido para a continuidade das ações do DF. Também fez um relato sobre as iniciativas que acompanhou recentemente, como o diálogo de campo sobre Plantações Florestais na Paisagem realizado na Nova Zelândia e a participação em uma reunião do Conselho da Organização Internacional de Madeira Tropical (OIMT) realizada em Yokohama, que enalteceu a importância do engajamento com a sociedade civil e da promoção do manejo florestal responsável.

Assuntos gerais discutidos e encaminhados pelo Fórum PR e SC:

Moção sobre o PL da caça: Ao final de 2017 o Fórum iniciou a elaboração de uma Moção com posicionamento contrário ao Projeto de Lei 6268/2016, conhecido como PL da caça. O texto foi apresentado aos integrantes e foi assinado pelas ONGs. As empresas florestais citaram a necessidade de conhecer melhor os impactos positivos e negativos do PL. Dessa forma, o caminho a ser adotado pelo Fórum será ampliar o diálogo com os órgãos ambientais sobre o conflito da caça de animais silvestres e levar a discussão sobre o PL para o ambiente das associações do setor de base florestal.

Parceria com o Projeto Verena: O Projeto Verena foi apresentado ao Fórum na reunião realizada em Caçador (SC), em março de 2018, e na reunião técnica com produtores rurais, em outubro do mesmo ano. Como desdobramento, no final de novembro a Apremavi e Bioflora realizaram visitas de campo aos produtores interessados na parceria, com o objetivo de detalhar a proposta e já pensar a elaboração dos projetos executivos destinados à implantação das Unidades Demonstrativas focadas no plantio de nativas com fins econômicos.

Agenda de conservação de áreas naturais no segundo planalto do Paraná: em uma das reuniões do Fórum, o Observatório de Justiça e Conservação e instituições parceiras propuseram a abertura de diálogo entre instituições que atuam no campo da conservação e empresas do setor florestal proprietárias de áreas de reflorestamento no segundo planalto do Paraná, sobre o desafio de garantir a manutenção de áreas naturais bem conservadas em propriedades privadas na região.

O Fórum discutiu a importância do diálogo para esclarecimentos sobre o uso e ocupação do solo em propriedades inseridas no segundo planalto do Paraná, algo que pode contribuir, por exemplo, para a minimização do problema de dispersão de pinus de muitos plantadores individuais que não estão nas associações de base florestal. Inclusive, esse foi o tema principal de uma reunião realizada em Três Barras (SC) pela Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (APRE) em conjunto com a Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR), com o objetivo de discutir ações para resolver a presença de pinus em áreas não comerciais e ouvir a experiência das empresas com relação ao tema.

O Fórum entende que o Diálogo do Uso do Solo é uma estratégia importante a ser considerada no segundo planalto do Paraná, a exemplo da experiência conduzida no Alto Vale do Itajaí. Essa estratégia parte do envolvimento dos diversos setores da sociedade para a construção de cenários que permitam melhor governança e o desenvolvimento inclusivo em paisagens com risco de destruição.

Retirada de exóticas em APP – entraves burocráticos para restauração: A presença de pinus é também um tema recorrente nas discussões sobre restauração florestal em propriedades rurais, pois produtores rurais têm relatado dificuldades em conseguir autorização dos órgãos ambientais no Paraná e Santa Catarina para retirar espécies exóticas das Áreas de Preservação Permanente (APP). Como encaminhamento, o Fórum vai buscar um espaço de diálogo com esses órgãos para discutir ações que minimizem esse conflito.

Outros assuntos: O Fórum discutiu a publicação sobre adequação e certificação florestal, que irá compor a série Cadernos do Diálogo. Também definiu a agenda de reuniões para 2019, que inclui um evento setorial no Oeste de SC para discutir os usos múltiplos da floresta/madeira e uma reunião conjunta entre o Fórum PR e SC e Fórum de SP, momento oportuno para a aproximação e troca de experiências entre os Fóruns do Diálogo Florestal.

Participe do Fórum!

Você é representante de empresa do setor florestal, de organização ambientalista ou movimento social com atuação no Paraná e Santa Catarina e tem interesse em participar do Fórum? Entre em contato com a secretaria executiva para mais informações: Marcos A. Danieli – marcos@apremavi.org.br

Os encontros do Fórum constituem-se em importantes momentos para a troca de experiências entre os participantes, de maneira que experiências bem sucedidas possam servir de exemplos e replicadas para o setor florestal e organizações ambientalistas.

Autor: Marcos Alexandre Danieli, com contribuição de Edilaine Dick.