Fórum Florestal Capixaba realiza reunião ordinária virtual

Maio 20, 2020 | Fórum Florestal do Espírito Santo, Notícias

No dia 15 de maio o Fórum Florestal do Espírito Santo realizou uma reunião virtual com a presença de 14 membros do Fórum Florestal além de representantes do Diálogo Florestal Nacional e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF). Entre os assuntos da pauta estavam a apresentação e aprovação do Plano de Ação do Fórum para o ano de 2020, a consolidação das linhas de pesquisas na área florestal para o intercâmbio com a Federação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (FAPES), e a discussão sobre os valores das taxas cobradas pelo IDAF para a exploração florestal da vegetação nativa.

Entre as atividades previstas no Plano de Ação para o ano de 2020 estão apresentações institucionais das organizações que integram o Fórum, bem como o fortalecimento dessas organizações por meio da promoção de cursos, como o curso a distância sobre captação de recursos que já ocorreu no primeiro semestre, e a proposição de novos estudos estratégicos na área florestal com destaque para o Diálogo do Uso do Solo – LUD (da sigla em inglês Land Use Dialogue).

Além desses tópicos, o Plano de Ação também prevê a ampliação dos componentes de discussão do Fórum numa abordagem mais ampla sobre florestas, o acompanhamento e elaboração de leis e normas relativas ao cultivo florestal, a promoção de debates e a realização de visitas técnicas e palestras com o objetivo de conhecer experiências, expertises e divulgar as ações das instituições integrantes do Fórum Capixaba, bem como a construção de uma estratégia de engajamento das empresas.

A proposta de intercâmbio com a FAPES, a fim de construir de forma conjunta os temas principais de pesquisa para o setor florestal capixaba, surgiu ainda em 2019, porém a definição dos temas só foi concluída durante a reunião virtual. Entre os 14 temas listados estão adaptabilidade, produção e processamento de espécies florestais madeireiras no Espírito Santo; conservação e uso de recursos genéticos nativos da Mata Atlântica; tecnologia de produção de mudas de espécies florestais nativas da Mata Atlântica; produção florestal e geração de renda em áreas de proteção permanente; Manejo, produção e processamento de produtos florestais não madeireiros,

A discussão sobre os valores das taxas para a exploração florestal de vegetação nativa, que se sucedeu à apresentação feita pelo diretor técnico do IDAF, Fabrício Fardin, resultou na criação de um Grupo de Trabalho que irá interagir com os órgãos públicos do Governo do Estado do Espírito Santo, para promover uma ampla análise sobre a legislação florestal do Estado, priorizando os valores de taxas cobradas pelo IDAF para a exploração florestal de vegetação de origem nativa.

A próxima reunião ainda não tem data, mas estão na pauta a apresentação do Plano Estadual de Recursos Hídricos –AGERH e a apresentação institucional da Vale e do Instituto Terra.

Leia a íntegra da Ata da Reunião Ordinária Virtual

Autora: Carolina Schäffer, com informações do relatório elaborado por Gilmar Gusmão Dadalto.